O Jardin do Centro é uma loja de plantas com cafeteria e coworking que ajuda a levar mais verde para o centro de São Paulo e para a vida das pessoas.

Ter mais tempo e flexibilidade para cuidar da família é o que leva muita gente a empreender. Com Ina Amorozo, 32 anos, e Jean Manuel da Silva, 35 anos, não foi diferente. Em 2015, pensando em ter uma carta na manga para quando viessem os filhos, eles começaram a pensar no próprio negócio.

Moradores do centro de São Paulo e donos de 60 vasos em casa, viram nesse mercado uma oportunidade. Alugaram um espaço de 24 m² na Rua General Jardim e abriram a loja de plantas Jardin do Centro. “Focamos em plantas mais propícias para apartamento, pensando na realidade das pessoas que não têm muito tempo e não sabem cuidar de plantas”, conta Ina. Eles também focaram no atendimento didático e atencioso, que fosse um suporte e fonte de conhecimento para os compradores.

Professora de música, Ina só precisou de dois meses para deixar o emprego e se dedicar integralmente ao negócio. Jean continuou no trabalho. Consultor comercial, ele recebeu uma proposta para trabalhar no exterior e alguns meses depois do negócio aberto foi morar em Dubai. Apesar da distância, foi um momento importante para a construção do Jardin. “O retorno financeiro é moroso e foi bom ter o respaldo dele pra manter a loja porque deu pra ir com calma e fazer escolhas mais alinhadas aos nossos valores”.

O salto: de 25 m² para 500 m²

Ina conta que se surpreendeu com o quanto as pessoas gostaram da loja e começaram a fazer dela um espaço para conviver, papear e passar o tempo. “A planta te reconecta. Às vezes as pessoas não compravam nada, mas entravam lá para reabastecer a energia”.

Elas queriam ficar ali, conversando, e perguntavam porque eles não abriam um café. Esse era justamente o sonho de Jean, que abraçou a oportunidade. E, assim, o Jardin do Centro virou também uma cafeteria. As plantas da loja invadiram a decoração do café, que conversa o tempo todo com o primeiro negócio do casal, além de ser integrado a ele. Ina diz: “O Jardin é uma loja de plantas com cafeteria, não é o contrário”.

Em 2018, eles ampliaram a cafeteria, que também serve almoço, e, de novo sentindo a necessidade dos clientes, montaram um coworking no fundo do espaço. “Nunca oferecemos wi-fi na cafeteria porque queríamos que as pessoas convivessem. Mas algumas vinham querendo trabalhar e a gente percebeu que o café não as acolhia da melhor maneira. Foi aí que surgiu a ideia do coworking”, cona Ina. A diária custa R$ 15 e inclui uma tomada, uma mesa e o wi-fi.

Relação com a cidade

O gosto por plantas já era algo que permeava a vida de Ina e Jean. Os dois gostavam de plantas, queriam ter plantas e sentiam necessidade de conviver com o verde. Levar isso para o negócio que construíram, Ina conta, os ajudou a ter uma relação ainda mais próxima com a natureza, mesmo estando no centro de São Paulo. “Planta te traz mais saúde, inclusive saúde mental. É uma maneira de se reconectar com a sua natureza e a natureza do mundo”.

Ela conta que muita gente entra na cafeteria e se surpreende com as plantas por todo o lugar, penduradas no teto, nos balcões, nos cantos do espaço. E isso, de certa forma, contribui para que as pessoas que circulam por ali criem um vínculo mais forte com o verde. Ina diz:

“Ter planta é essencial na vida das pessoas. E a gente sente que o nosso olhar tem ajudado nisso porque as pessoas têm o Jardin como ponto de conexão. É lindo de ver”.

O irmão Quintal do Centro

Em 2017, o Jardin do Centro ganhou um irmão: o Quintal do Centro. Fica na rua Barão de Tatuí e tem a mesma proposta: ser um espaço que tem plantas e cafeteria. O destaque é a área nos fundos, o quintal propriamente dito, que tem exatamente a atmosfera dos bons e velhos quintais. Ina conta que a diferença é que, nesse caso, a loja tem uma proposta um pouco menos didática. “Na loja do quintal o atendimento não é tão personalizado. Criamos sinais gráficos de cuidados para que as pessoas consigam fazer um atendimento mais autônomo”.

Vai lá!
Jardin do Centro
Rua General Jardin, 494
Horário: das 9h às 19h, de segunda a sábado. A loja de plantas abre às 11h.

Quintal do Centro
Rua Barão de Tatuí, 95
Horário: das 9h às 19h, de segunda a sábado. Aos sábados, tem almoço vegano.

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.