Como comprar alimento saudável, sem agrotóxico, sem gastar uma fortuna?

Essa é uma pergunta muito comum de quem está em busca de uma alimentação mais saudável, para si e para o planeta.

Em geral, os alimentos orgânicos são realmente muito mais caros do que os convencionais quando comprados em grandes redes varejistas. E isso os torna inacessíveis pra muita gente na alimentação do dia a dia.

Mas São Paulo é uma cidade de múltiplas possibilidades e existem alternativas mais baratas. A principal dica é: compre direto do produtor orgânico ou agroecológico. Esta é sempre a forma mais barata de consumir porque elimina os intermediários.

E como fazer isso? O Verde SP te ajuda com dicas:

  • Feira de produtores

Identifique as feiras de produtos orgânicos ou agroecológicos da sua região. Um mapa feito pelo IDEC é de grande ajuda nesta busca. Nestes locais você consegue comprar direto do produtor e com um preço mais em conta.

Uma vez na feira, converse com os produtores. Isso vai te ajudar a estabelecer uma relação de proximidade e, muitas vezes, ele pode te ajudar a conseguir produtos que você quer.

  • Procure um CSA

As Comunidades que Sustentam a Agricultura são grupos de pessoas que se juntam para financiar a compra da produção de um ou mais agricultores por um período determinado de tempo. Você pode inclusive, formar um CSA pra chamar de seu.

Neste link, tem um mapa com CSAs espalhados pelo Brasil

  • Entrega de cestas

Na cidade de São paulo existem muitos serviços de entregas de cestas de orgânicos. Os sítios que ficam no entorno costumam oferecer essa possibilidade.

Também existem algumas pessoas que organizam essas entregas ou mesmo pessoas/empresas que prestam esse tipo de serviço. Ainda assim, costuma ser mais em conta do que comprar no supermercado.

Vou deixar aqui o link de duas entregas que conheço, mas a principal dica é pesquisar no Google, porque são muitas as possibilidades.

  • Lojas de preço justo

Em SP existem algumas lojas focadas na Economia Solidária. As tabelas de preços são abertas e você sabe exatamente quanto está pagando, quanto vai para o produtor, quanto fica para a loja manter suas atividades.

É uma forma mais consciente de consumir e também mais barata do que no mercado.

Se você se interessou por esse conteúdo, minha dica é que comece aos poucos.

Mudar a forma de consumir alimentos exige, inclusive, ajustes no nosso dia a dia, na forma de comprar, de organizar a cozinha e os cardápios.

Então, vá devagar. Mas vá. Sua saúde, e o planeta, agradecem!

Deixe uma resposta